h1

Lettera amorosa

Julho 5, 2008

Respiro o teu corpo:

sabe a lua-de-água

ao amanhecer,

sabe a cal molhada,

sabe a luz mordida,

sabe a brisa nua,

ao sangue dos rios,

sabe a rosa louca,

ao cair da noite,

sabe a pedra amarga,

sabe à minha boca.

Eugénio de Andrade

Imagem: Colette Calascione

Anúncios

One comment

  1. A poesia e a musica voltaram em força e a sugerir lembranças onde as maões eram protagonistas de caricias infindaveis que acabavam por termirem em rios de desejos que os labios tentavam apagar sentindo e recebendo o fruto da excitação transformado em liquido.



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: