h1

Flores que nascem dos teus lábios

Novembro 17, 2008

Olho os teus olhos fechados,

ouço a tua respiração breve.

E sei que sabes que te vejo,

como tu sabes que eu o sei.

Admiro, meu amor, o teu sonho.

Levas-me para fora da cidade,

às estradas ermas dos arredores,

onde voo sobre o teu corpo.

E um outro nos aparece:

ramos são os teus braços;

flores, as que nascem dos teus lábios;

corre um rio no vale entre os seios.

E volto a ser um camponês,

trabalhando a terra que me dás.

Nuno Júdice
Imagem: Sami Briss


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: