Archive for Abril, 2009

h1

Visão

Abril 14, 2009

Que mulher é aquela lá longe

recortada entre a espuma e o areal

vestida de neblina

e com um colar de coral?

Uma ninfa deste século

numa pincelada de azul esbatido

ou a alegria dos meus olhos

num recorte de sonho fingido?

Agora que se aproxima

envolta em carne de desejo

só faltava que chegasse perto de mim

e me desse um beijo.

António Garcia Barreto

Arte de Elisabetta Trevisan

h1

Teresinha

Abril 13, 2009

“…O terceiro me chegou como quem chega do nada

Ele não me trouxe nada também nada perguntou

Mal sei como ele se chama mas entendo o que ele quer

Se deitou na minha cama e me chama de mulher

Foi chegando sorrateiro e antes que eu dissesse não

Se instalou feito posseiro, dentro do meu coração.”

Teresinha, Chico Buarque

h1

As mãos

Abril 13, 2009

Tenho para te dar as mãos vazias

e pouco mais, mas olha como são

as minhas mãos, que outrora foram frias

e hoje ardem ao calor da emoção

de sentir como espantam as sombrias

noites em que o negrume e a solidão

eram a manta com que te cobrias.

Torquato da Luz

Imagem: Elaine Lanoue

h1

O melhor

Abril 12, 2009

O melhor da vida foi conhecer-te

e amar-te, alheio ao correr dos anos.

Tudo o mais, que umas vezes me diverte

e outras me traz desenganos,

apenas prova que já perdi

a memória do tempo anterior a ti.

Torquato da Luz

Imagem: Hunter O’Reilly

h1

Revelação

Abril 6, 2009

Descobri que te amava

Quando vi

Que ao pé de ti

O tempo se esfumava

Torquato da Luz

Imagem: Laurence Dreano

h1

ABC

Abril 5, 2009

“Quantas horas perdi

foi por ti

que as perdi.”

Vai o meu coração

repetiu a lição:

“Quantas horas perdi

foi por ti que as ganhei…”

Sebastião da Gama

Arte de Elena Iwanova

h1

Além da Terra, além do Céu

Abril 3, 2009

Além da Terra, além do Céu,

no trampolim do sem-fim das estrelas,

no rastro dos astros,

na magnólia das nebulosas.

Além, muito além do sistema solar,

até onde alcançam o pensamento e o coração,

vamos!

vamos conjugar

o verbo fundamental essencial,

o verbo transcendente, acima das gramáticas

e do medo e da moeda e da política,

o verbo sempreamar,

o verbo pluriamar,

razão de ser e de viver.

Carlos Drummond de Andrade

Imagem: Tamas Galambos

h1

Se eu e tu

Abril 2, 2009

Se eu fosse peixe e tu fosses mar

nadava por dentro de ti

e vivia do teu corpo.

Se eu fosse pássaro e tu fosses ar

cortava-te como uma flecha

sem nunca te magoar.

Se eu fosse sol e tu fosses neve

em rio transformava

e havias de ver o mar.

Se eu fosse chuva e tu fosses terra

cresciam de um dia para o outro

as flores na tua pele.

Se eu fosse vento e tu fosses vela

levava-te a ver o mundo

por sobre as ondas do mar.

João Pedro Mésseder

Imagem: Waclaw Wantuch


h1

Lua

Abril 1, 2009

Disseram-me para olhar a lua

como fazem os apaixonados.

Nada aconteceu.

“Quero um poema teu.”

Em vez disso entrancei-te uma grinalda

de luas-cheias-de-promessas

e de quartos-crescentes-de-desejo.

E passei a noite, em branco, contigo.

Teresa Guedes

Imagem: Leah Piken Kolidas