Archive for Março, 2013

h1

Insubmissão

Março 9, 2013

Somos corsárias
febris
… por areias dos desertos

Seguimos estrelas cadentes
e montando os nossos sonhos
cumprimos roteiros incertos

Vamos atrás das paixões
com o faim à cintura
e a pena no coração

Para escrevermos poesia
invertendo o cantochão

Com a arte da insídia
olhamos o horizonte alucinando
os oásis, abismando sortilégios

Escutamos os clamores
os oceanos celestes
nos silêncios dos desertos

Buscamos os infiéis
com olhos de expiação

Somos hábeis e seguras
ambíguas, doces, cruéis
nós partimos sem regresso

Ora flibusteiras
em horas de cerração
entre a paixão e o inverso

Ora piratas do limbo
abandonando os arquétipos

A cimitarra à cintura
e o júbilo no coração
pelo avesso dos versos

Somos a rosa e o espinho
a sombra no seu desvão

Entre o fuso e o enigma
a navalha entreaberta
e os nevoeiros secretos

Somos corsárias
sonhando
nas areias dos desertos

Maria Teresa Horta

Imagem: Eric Lèbegue

Anúncios
h1

Assassinei a minha poesia

Março 5, 2013

Fui pensador do absurdo e da utopia,

Cavaleiro da dimensão do nada,

Patética visão duma alvorada

Já com sintomas de esquizofrenia.

Pra me livrar do mal que me afligia 

Joguei fora os fermentos da emoção

E esta minha poética ambição

Por falta de talento apodrecia.

E depois, de com um tiro certeiro,

Destruir a caneta e o tinteiro,

Num assomo de dor me arrependi,

Ao ver a rubra tinta ainda a escorrer

Com poemas bonitos por escrever

Versos de amor guardados para ti.

Felisteu

Imagem: Nicole Morin

h1

A mulher mais bonita do mundo

Março 4, 2013

estás tão bonita hoje. quando digo que nasceram
flores novas na terra do jardim, quero dizer
que estás bonita.

entro na casa, entro no quarto, abro o armário,
abro uma gaveta, abro uma caixa onde está o teu fio
de ouro.

entre os dedos, seguro o teu fino fio de ouro, como
se tocasse a pele do teu pescoço.

há o céu, a casa, o quarto, e tu estás dentro de mim.

estás tão bonita hoje.

os teus cabelos, a testa, os olhos, o nariz, os lábios.

estás dentro de algo que está dentro de todas as
coisas, a minha voz nomeia-te para descrever
a beleza.

os teus cabelos, a testa, os olhos, o nariz, os lábios.

de encontro ao silêncio, dentro do mundo,
estás tão bonita é aquilo que quero dizer.

José Luis Peixoto

Imagem: Tamara de Lempicka