Archive for 26 de Julho, 2013

h1

Felicidade

Julho 26, 2013

Felicidade
é abrir-te devagar como uma porta
rangendo murmúrios
para o meu corpo entrar.

E depois, depois voltar a fechá-la atrás de mim
e caminhar em ti em ritmos certos
para que os meus passos se confundam com o
bater do teu coração.

E depois, depois semear em ti trigo novo
e soltar papoilas nuas da minha boca
para que se misturem com o teu sangue.

E depois,
depois perder-me nesse sonho sem regresso
só com a luz dos teus olhos
a levarem notícias do mundo!…

João Morgado,  in RIO DE DOZE ÁGUAS, 12 POETAS,  (Coisas de Ler Ed., 2012)

Imagem: Mariana Kalacheva

Anúncios
h1

Inocência

Julho 26, 2013

A inocência do teu corpo é um pano branco.
A carne é crua num corpo intacto de plena luz.
Nu e intenso é o teu olhar despido de fogo.
Estou sóbrio na noite em que murmuro o teu
nome puro.

Sei que a água não é o pão que como
no teu corpo virgem.
A tua inocência é o fruto delicado
que pressinto na ponta dos meus dedos.

Respiro lentamente a fome dos teus braços.
Sinto falta de beijar o sol da tua boca…

Cláudio Cordeiro,

in RIO DE DOZE ÁGUAS, 12 POETAS,(Coisas de Ler, Ed., 2012)

Imagem: Vladimir Dunjić