h1

Memória excessivamente vísivel

Junho 23, 2014

Sobre as frias cinzas de uma incandescente memória

vejo-te
nas pontas dos dedos sobre os olhos cerrados

vejo-te
no apogeu da ideia sobre a sombra da lua

vejo-te
no ocaso posto sobre o dia cansado

sinto-te
sem nadar nas águas do teu porto tão próximo

sinto-te
sem sofrer na carne as esquinas dos teus ossos

Ansiando pelo peso da pele que perdes ao passar por minhas mãos
afaga-me levemente tua transitória visibilidade
e para da memória se apagarem tão incandescentes cinzas
afoga-me o fogo no vislumbre do teu corpo fugidio

José Bernardes, in Mãos Inquietas (Edita-Me, 2012)

Arte por Gun Legler

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: