Archive for the ‘Carlos Eduardo Leal’ Category

h1

A verdade sobre o amor

Novembro 10, 2014

A verdade sobre o amor se esconde na sua pontuação

da minha palavra endereçada a você.

Carlos Eduardo Leal

Arte de Слава Коробейников

Anúncios
h1

Amor de ontem hoje e sempre

Setembro 1, 2014

 Um amor que não morre
é um amor que se alimenta de lembranças.
Um amor que não morre
é um amor que se regozija no presentem
não esquece o passado e suspira pelo futuro.

Amor, humores, rumores
há algo sempre aí
haverá algo sempre no ar,
sangrando
a imaginar nossos corpos
a silenciar nossas posses
nossas possessividades
ontem, hoje e sempre.

Queria calar o que morre em mim:
o calor dos seus abraços
a esquiva dos seus olhares
a tempestade que inunda
minhas planícies.

Um amor que não morre
é o encontro com a tua voz, com teu corpo
é um amor que se lança ao futuro
com a única certeza daquilo que foi, é e será:
o amor de uma vida inteira.

Carlos Eduardo Leal, in A Sede da Mulher (e  de um Homem), (editado no Brasil, s/ data)

Arte de  Chelin Sanjuan

h1

Dezembro 31, 2013

São tantos eus que transbordo em ti.

Carlos Eduardo Leal (a publicar)

Arte por Csaba Markus

h1

Abraçar o dia

Outubro 13, 2013

Abraçar o dia como se a luz dos teus olhos estivesse nele.

Carlos Eduardo Leal (a publicar)

Imagem:  Jurgen Gorg

 

h1

Sobre o amor e as palavras

Setembro 8, 2013

De palavra em palavra vou lavrando o corpo do teu texto: por amor

maculo pensamentos e sujo vogais com o intuito de te encontrar ao final

de cada página e me amares por não-ser.

Carlos Eduardo Leal (a publicar)
Imagem: Giampaolo Ghisetti
h1

Uma carta ao cair da tarde

Agosto 25, 2013

Meu amor,
O oceano não precisa das tuas lágrimas para ficar mais salgado.
Nem os céus nem as estrelas ficarão mais luminosos
do que o brilho dos teus olhos.
mas a minha vida ficará mais deserta
sem o aconchego dos teus abraços
e o suspiro melancólico da tua voz em meus ouvidos.
Portanto, não se esqueça de que
o oceano sempre toca o céu no infinito das paixões,
assim como eu infinitamente enlaço o corpo da tua alma
despudoradamente através do erotismo que brota ávido
no corpo das minhas palavras.

Carlos Eduardo Leal,

in A SEDE DA MULHER (E DE UM HOMEM), (editado no Brasil, s/ data)

Imagem: Michal Lukasiewicz (Polónia)