Archive for the ‘Casimiro de Brito’ Category

h1

Haiku

Fevereiro 18, 2015

131

No mar tão deitada!
Apetece-me despir-te
com língua e dentes

132

Eis como te quero:
nua, inclinada sobre
meu corpo em chamas

133

Outrar-me contigo,
que mais posso desejar?
A vida é um pássaro

Casimiro de Brito, in Livro dos Haiku, capítulo “Amando, escrevendo”

Arte de Steven DaLuz

h1

6.

Outubro 27, 2014

Entro no teu corpo árvore
felina
como quem visita um templo
vegetal uma ilha impregnada
pelas especiarias mais raras
do sol e do mar. Ascendo em bocas
que bebem a minha seiva em dunas
que me lavam e queimam
humildes. Armas tão frágeis
as que temos: o mel a saliva o
sémen. Caminho
na luz obscura
com as mãos vazias
de quem nasce de novo

Casimiro de Brito, in Opus Affeituoso, 1997 P.E.N. Poetry Award

Arte de Cecile Veilhan

h1

Noite por ti despida

Janeiro 7, 2014

Adulta é a noite onde cresce
o teu corpo azul. A claridade
que me dás em troca dos meus ombros
cansados. Reflexos coloridos. Amei
o amor. Amei-te meu amor sobre ervas
orvalhadas. Não eras tu porém
o fim dessa estrada sem fim.
Canto apenas (enquanto os álamos
amadurecem) a transparência, o caminho.
A noite por ti despida. Lume e perfume
do sol. Íntimo rumor do mundo.

Casimiro de Brito

Arte por Nom Kinneat King

h1

Quem toca na espuma mergulha no mar

Outubro 16, 2013

Quem toca na espuma
mergulha no mar.
Assim comecei a amar-te.
Primeiro uma gota
invisível. Agora
no sexo que me abres
na saliva que me sacia
a terra toda e todos
os seus rios.

Casimiro de Brito, in AMAR A VIDA INTEIRA (Roma Ed., 2011)

imagem: Autor não mencionado

h1

51

Setembro 15, 2013

Abandonei as coisas efémeras
para me dedicar ao nosso amor
e todas as coisas são efémeras
comparadas com o nosso amor.
Apenas a poesia não trairei,
não posso aabandoná-la –
ela não é uma coisa, é um dom
enraizado no chão da fala.
Só a morte nos pode separar.
Mas a morte não existe, é passagem,
abre implacável o mar desta viagem
lembrando que tudo é pó ou nada.
Abandonei a relva do caminho
e às duas entrego o meu destino.

CASIMIRO DE BRITO, in AMAR A VIDA INTEIRA (Roma Editora, 2011)

Imagem: J.J. Burner

h1

37

Julho 25, 2013

O amor, tal como a luz e as sombras,

é um animal de mil formas que transmite

um bafo, uma alegria que vem de terras fundas

que no corpo amado adquirem

um rosto, um sopro e dunas musicais.

o amor cria a sua própria substância

composta por cacos voláteis

de um vaso antigo – barro que só ele

domina. Nem sempre se vê a transparência

dos peixes voadores.

Casimiro de Brito

Imagem: Vicki Wade

h1

Há dias em que morro de amor

Fevereiro 20, 2013

Há dias em que morro de amor.

Nos outros, de tão desamado,

morro um pouco mais.

Casimiro de Brito

Imagem: Paul David Bond