Archive for the ‘Lília Tavares’ Category

h1

Morre a chuva na terra

Setembro 29, 2013

Morre a chuva na terra.

Sou eu

a morrer no teu corpo

para voltar a ser semente.

Lília Tavares, in PARTO COM OS VENTOS, (Kreamus, 2013)

imagem:  Vladimir Dunjic

h1

Anseio-te…

Agosto 26, 2013

Anseio-te pelas palavras roucas e cortadas, pois deixei
por ti as moradas sem vida e sem sonho. Abro-me
como o linho dos lençóis. Amarrotas-me como as
pétalas de uma flor rebelde

Lília Tavares, in PARTO COM OS VENTOS, (Kreamus, 2013)

Imagem: Alain Dumas (França)

h1

As ondas do mar parecem novelos ternos

Agosto 23, 2013

As ondas do mar parecem novelos ternos. O vento aquietou-se, adormeceu.
Sinto que chegas como um novelo onde nunca o frio mora.

Lília Tavares, n PARTO COM OS VENTOS (Kreamus, 2013)

Imagem: Rumen Nikolov

h1

Quero acordar-te

Julho 6, 2013

Quero acordar-te

da profundidade do teu sono,

da carícia tornada ferida,

do crepúsculo não vivido.

Buscaste-me quebrando

um a um os silêncios

das tuas mãos,

pisaste as estradas,

com asas chegaste

como o outono

discreto mas presente.

Sou a semente que se perdeu

entre as pedras do caminho

e o luar esquecido pela claridade

dos néons.

Soube-nos a chegada

a partida pela noite.

Se voltas,

porque tens de partir

na cauda dos ventos do norte?

O frio percorre-me

quando começa a sombra da tua ausência.

Lília Tavares

Arte por Natmir Lura

h1

Poema de amor para domingo

Julho 21, 2012

Vivo-te inteiro no horizonte da madrugada. Desejava
sentir-te mergulhar neste ribeiro morno, peixe de
braços onde o frio não se detém.

Lília Tavares, in Parto com os ventos (Kreamus, 2013)
Arte por Willem Haenraets