Archive for the ‘Maria Teresa Horta’ Category

h1

O gato lembra-se de ti nos intervalos

Junho 6, 2013

O gato lembra-se de ti nos intervalos. Espera
de olhos acesos as histórias que nos contas.
Passeia-se inquieto sobre o meu parapeito e eriça
o pêlo, cúmplice, quando pressente que regressas.

Chegas sempre de noite. Sei quem és e ao que vens
e ofereço-te o silêncio de um pequeno quarto recuado,
as sombras das traseiras na minha pele, o tempo
de repetir um gesto inevitável. Ouço-te contar
a mesma lenda com lábios sempre novos. Aprendo-a
e esqueço-a. Nunca a saberemos de cor, o gato ou eu.

Depois partes. Levas contigo a tua voz, mas a música
fica. Eu fecho as portadas devagar. O gato mia baixo
à janela. Ninguém acena: guardamos com os outros
o segredo das tuas visitas. Ambos. O gato e eu.

Maria do Rosário Pedreira

Imagem: Marie Fox

Anúncios
h1

No silêncio que guardo quando partes

Maio 19, 2013

No silêncio que guardo
quando partes

que escondes sob os
dedos

que se prende

que me deixa no corpo
este calor
da falta do teu corpo como sempre

Maria Teresa Horta

Imagem: Jagannath Paul

h1

Insubmissão

Março 9, 2013

Somos corsárias
febris
… por areias dos desertos

Seguimos estrelas cadentes
e montando os nossos sonhos
cumprimos roteiros incertos

Vamos atrás das paixões
com o faim à cintura
e a pena no coração

Para escrevermos poesia
invertendo o cantochão

Com a arte da insídia
olhamos o horizonte alucinando
os oásis, abismando sortilégios

Escutamos os clamores
os oceanos celestes
nos silêncios dos desertos

Buscamos os infiéis
com olhos de expiação

Somos hábeis e seguras
ambíguas, doces, cruéis
nós partimos sem regresso

Ora flibusteiras
em horas de cerração
entre a paixão e o inverso

Ora piratas do limbo
abandonando os arquétipos

A cimitarra à cintura
e o júbilo no coração
pelo avesso dos versos

Somos a rosa e o espinho
a sombra no seu desvão

Entre o fuso e o enigma
a navalha entreaberta
e os nevoeiros secretos

Somos corsárias
sonhando
nas areias dos desertos

Maria Teresa Horta

Imagem: Eric Lèbegue

h1

Peço-te

Julho 18, 2012

Peço-te que feches a cortina

e à sua sombra já estremeço nua

Vens-me cobrir o frio

com o teu calor

e à nossa roda já tudo flutua.

Maria Teresa Horta

Imagem: Andrey Belle

h1

Corpo inteiro

Outubro 15, 2010

Para mim o
amor
fica-me justo

Eu só visto
a paixão
de corpo inteiro

Maria Teresa Horta, in “Só de amor” (1999)

Imagem: Benjamin Shiff

h1

Tu serás

Março 19, 2010

Tu serás o princípio

e o meu fim

Pegando mal de amor

em chama alta

Vulcão em desacerto

e fogo posto

Tão grande que ele é

e já me mata.

Maria Teresa Horta

Imagem: Duy Huynh

h1

Sou voraz

Dezembro 5, 2009

Sou voraz

não me apego

ao abrigo da alma

Sou o corpo

o incêndio

só o fogo

me acalma

Maria Teresa Horta

Imagem: Anne Farrall Doyle