Archive for the ‘Sophia de Mello Breyner Andresen’ Category

h1

Quem és tu

Julho 3, 2009

Quem és tu que assim vens pela noite adiante,
Pisando o luar branco dos caminhos,
Sob o rumor das folhas inspiradas?

A tua perfeição nasce do eco dos teus passos,
E a tua presença acorda a plenitude
A que as coisas tinham sido destinadas.

A história da noite é o gesto dos teus braços,
O ardor do vento a tua juventude,
E o teu andar é a beleza das estradas.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem: Misti Pavlov

Anúncios
h1

Mar

Março 12, 2009

De todos os cantos do mundo

Amo com um amor mais forte e mais profundo

Aquela praia extasiada e nua,

Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem: Rodica Toth Poiata

h1

Terror de te amar…

Março 8, 2009

Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo

Mal de te amar neste lugar de imperfeição

Onde tudo nos quebra e emudece

Onde tudo nos mente e nos separa

Sophia de Mello Breyner Andresen,  in CORAL (1950) e OBRA POÉTICA (Caminho, 2010)

Imagem: Rodica Toth Poiata

h1

Tarde

Fevereiro 2, 2009

O que eu queria dizer-te nesta tarde

Nada tem de comum com as gaivotas.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem: Elena Ilku

h1

Poema de amor de António e Cleopatra

Fevereiro 1, 2009

Pelas tuas mãos medi o mundo

E na balança pura dos teus ombros

Pesei o ouro do Sol e a palidez da Lua.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem: John William Waterhouse

h1

Espero

Dezembro 9, 2008

Espero sempre por ti o dia inteiro,

Quando na praia sobe, de cinza e oiro,

O nevoeiro

E há em todas as coisas o agoiro

De uma fantástica vinda.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Arte de  Fanny Nushka Moreaux


h1

Mãos

Dezembro 5, 2008

Longas de desejo

Frescas de abandono

Consumidas de espanto

Inquietas de tocar e não prender.
.
Sophia de Mello Breyner Andersen, in CORAL (1950), in OBRA POÉTICA (Caminho, 2010)

Arte de Vladimir Golub